Conceito de comunicação social, suas funções, sua evolução histórica (períodos e eventos mais relevantes);

Chamado sociedade da informação evidencia o papel social dos meios de comunicação social e dos jornalistas, enquanto agentes intermediário e, muitas vezes activos, dos debates do interesse público. Historicamente, a imprensa em modo geral tem exercido relevante papel na defesa dos interesses colectivo e fortalecimento da democracia. Para Ferreira (2012), Jornalismo é a actividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. O Jornalismo é prática de colectar, redigir, editar e publicar informações sobre eventos actuais, bem como eventos passados, como sucede em revistas.
Objectivo: O presente artigo tem como objectivo de definir o conceito de comunicação social, apresentar as suas funções, sua evolução, histórica e modalidades dando em conta os períodos e eventos mais relevantes.
Resumo: Em uma sociedade moderna, os meios de comunicação social tornaram-se os principais fornecedores de informação e opinião sobre assuntos públicos, mas o papel do jornalismo, juntamente com outras formas de mídia, está sofrendo modificações, decorrentes da expansão da Internet.
Palavra chaves: Comunicação social conceito, história, evoulução e modalidades jornalísticas.
Para o Instituto de Tecnologia ORT ( 2011), Comunicação Social é o estudo das causas, funcionamento e consequências da relação entre a sociedade e os meios de comunicação de massa – rádio, revista, jornal, televisão, teatro, cinema, propaganda, internet. Engloba os processos de informar, persuadir e entreter as pessoas. Encontra-se presente em praticamente todos os aspectos do mundo contemporâneo, evoluindo aceleradamente, regista e divulga a história e influencia a rotina diária, as relações pessoais e de trabalho. A comunicação social é uma ciência social aplicada, cujo objecto tradicional de estudo são os meios de comunicação de massa
2.0 A função da comunicação social
A comunicação social possuem três principais funções: informar, entreter e educar. Segundo esta concepção, informar se refere à comunicação dos fatos que ocorrem no contexto social; educar, a capacidade que tem o homem para enfrentar-se com este contexto e entreter é transportar mentalmente o espectador para longe do seu context, de acordo site macrotemas:
Contudo, Harold Laswell ( 1948 em macrotemas.com 2010) , cientista político norte-americano, resumiu as funções dos meios de comunicação, conforme veremos a seguir:

– Vigilância do contexto;
– Correlação social;
– Transmissão cultural;
– Socialização;
– Entretenimento.

“A vigilância do contexto significa que os meios de comunicação de massa servem como sentinela para os indivíduos, alertando-os sobre os fatos que se sucedem ao seu redor. Os meios de comunicação sociais, servem de janela do mundo”. Esta função tem papel importante, que é a de moralizar, reforçar as normas sociais existentes em cada indivíduo, e por cima, adverte-os do perigo que seu grupo social pode sofrer, desde a possibilidade de uma guerra, a queda da moeda, ou fatores externos que interferem no dia a dia.
“A actividade da correlação com o contexto social inclui a interpretação da informação relativa ao meio ambiente social, e as prescrições para a conduta em reação ante aos acontecimentos dados a conhecer. Dessa forma, representa a propagação das opiniões sobre os fatos ocorridos no contexto. Expressa-se por meio dos editoriais dos diários ou nos programas de opinião pública do rádio ou da televisão”. Logo, isso serve para reforçar a idéia de que proporcionam uma espécie de mesa redonda na qual todos os seus integrantes têm a possibilidade de debater os assuntos públicos, até mesmo poder alterá-los.
Já a socialização é uma consequência do fator cultural, vez que os membros de uma coletividade aprendem os modelos de sua sociedade, assimilando e convertendo em suas próprias regras pessoais de vida. “Os meios de comunicação geralmente cumprem seu processo de socialização, de maneira não formal, mas, por intermédio da promoção de valores e de sistemas de vida na programação.

3.0 Evolução histórica da comunicação social
Os primeiros meios de comunicação de massa foram os livros, produzidos artesanalmente desde a antiguidade, mas fabricados, em série, a partir da invenção da prensa, por Gutemberg, na Alemanha, no século XV. A prensa permitiu o nascimento dos jornais e das revistas a partir do século XVII. Os dois tipos de meios ganharam sua forma moderna no início do século XX, nos Estados Unidos, e depois na Inglaterra, com a penny press.
De acordo a Sousa ( 2006), Os meios de comunicação social passaram efetivamente a ter impacto social, sobretudo, no século XX, a partir do advento da Televisão e do Rádio. Os meios eletrônicos dominaram plateias no mundo inteiro e tornaram-se instrumento permanente de emoção, encanto, fantasia e informação
O avanço da tecnologia permitiu a reprodução em grande quantidade de materiais informativos a baixo custo. As tecnologias de reprodução física, como a imprensa, a gravação de discos de música e a reprodução de filmes seguiram a reprodução de livros, jornais e filmes a baixo preço para um amplo público. Pela primeira vez, a televisão e a rádio permitiram a reprodução eletrônica de informações.
Os meios eram baseados na economia de reprodução linear: neste modelo, um obra procura render em modo proporcional ao número de cópias vendidas, enquanto ao crescer o volume de produção, os custos unitários decrescem, aumentando a margem de lucro. Grandes fortunas são devidas à indústria da mídia.
Para Marshall ( 1999),Se inicialmente, o termo “meios de comunicação de massa” se referia basicamente a jornais, revistas, rádio e televisões, no final do século XX a internet também entrou fortemente no setor. Para alguns, também os telefones celulares já podem ser considerados uma mídia.
4.0 Modalidades
Os géneros do jornalismo são entendidos como modalidades históricas específicas e particulares da criação literária concebidas para lograr fins sociais determinados. Podemos então abordar algumas das modalidade do jornalismo:
4.1 Noticia
Notícia é um formato de divulgação de um acontecimento por meios jornalísticos. É a matéria-prima do Jornalismo, normalmente reconhecida como algum dado ou evento socialmente relevante que merece publicação numa mídia. Por outro, notícia tambem pode ser considerada como qualquer tipo de informação que apresenta um acontecimento recente. A origem da palavra “notícia” provém do Latim, em que “notitia” significa “notoriedade; conhecimento de alguém; noção”( significado.com).
Segundo o site significado.com, a notícia se caracteriza por um texto informativo de interesse público, que narra algum fato ocorrido no país ou no mundo, e cujo conteúdo é constituído por um tema político, econômico, social, cultural, etc. As notícias são veiculadas ao público através da televisão, jornais, revistas e outros meios. A narração de uma notícia de gênero jornalístico deve ser feita de modo exato, objetivo e imparcial. Nesse gênero de notícia, deve ser destacada a veracidade dos fatos, a clareza da linguagem e a objetividade do conteúdo.
As principais perguntas que devem ser respondidas para estruturar uma notícia são: “o quê?”, “quem?”, “quando?”, “onde?”, “como?”, “por quê?”, “como?”
4.2 Cronica
Para o site significado.com, Crônicaé uma narrativa histórica que expõe os fatos seguindo uma ordem cronológica. A palavra crônica deriva do grego “chronos” que significa “tempo”, ( significado.com) Nos jornais e revistas, a crônica é uma narração curta escrita pelo um autor e publicada em uma seção habitual, na qual são relatados fatos do cotidiano e outros assuntos relacionados a arte, desporto, ciência etc. Na literatura e no jornalismo, uma crónica é uma narração não longa, produzida essencialmente para ser veiculada na imprensa, seja nas páginas de uma revista, seja nas páginas de um jornal. Possui assim uma finalidade utilitária e pré-determinada: agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização, criando-se assim, no transcurso dos dias ou das semanas, uma familiaridade entre o escritor e aqueles que o leem.

4.3 Reportagem
E um género jornalístico baseado no testemunho direto dos fatos e situações explicadas em palavras e, numa perspectiva actual, em histórias vividas por pessoas, relacionadas com o seu contexto. A reportagem televisiva, testemunho de acções espontâneas, relata histórias em palavras, imagens e sons e reportagem.
Uma reportagem é um trabalho jornalístico, cinematográfico ou de outro género, de carácter informativo. Também se trata do conjunto de fotografias que constam num jornal ou numa revista sobre algo. Em poucas palavras, a reportagem é um testemunho que explica, com palavras, imagens e sons, consoante o meio usado, algum acontecimento de interesse público. De uma forma geral, inclui as observações pessoais e directas por parte do repórter ou jornalista.
Segundo Duarte, a reportagem apresenta as seguintes partes:
A manchete ou o título principal – Sempre aparece em destaque, com letras grandes, às vezes até coloridas, para chamar a atenção do leitor.
O título auxiliar, que também podemos chamar de subtítulo – É uma complementação do título principal, que fornece maiores detalhes sobre o assunto em destaque.
O primeiro parágrafo, também chamado de Lide – A informação trazida por ele deverá obedecer a uma sequência de perguntas, como: O que aconteceu? Com quem ocorreu o fato?Onde?Como aconteceu?Quando foi?E por quê?
Por último, vem o que denominamos de “corpo” da reportagem – É o detalhamento de tudo aquilo que se pretende dizer, sempre procurando facilitar a compreensão por parte de todos.
4.4 Entrevista
De acordo com o site conceito.de, Entrevista é a acção de entrevistar alguém. Trata-se de uma conversa entre duas uma ou mais pessoas com um fim determinado.Pode ter uma finalidade jornalística, para informar o público das respostas da pessoa entrevistada. E a mesma tem os seus objectivos, como por exemplo, o objectivo da entrevista jornalística é obter informação para difundi-la num meio de comunicação, podendo ser a imprensa escrita, a rádio, a televisão ou a Internet.
Tipos de Entristas
a) Entrevista Informal (livre ou não-estruturada) – É o tipo menos estruturado, e só se distingue da simples conversação porque tem como objetivo básico a coleta de dados. .

c) Entrevista por Pautas (semiestruturada ou semidirigida) – Apresenta certo grau de estruturação, já que se guia por uma relação de pontos de interesses que o entrevistador vai explorando ao longo do seu curso ao entrevistado ao longo da entrevista. .
d) Entrevista Estruturada (fechada) – Desenvolve-se a partir de uma relação fixa de perguntas, cuja ordem e redação permanecem invariáveis para todos os entrevistados.

Referências
Instituto de Tecnologia ORT ( 2011): O que é a comunicação social?
Link: http://www.ort.org.br/comunicacao-social/o-que-c.. Acesso aos 15-04-2015
Freita, Ferreira ( 2012 ). Observatório da Impresa/Jornalismo.Info-escola. Ediçã 719.
Macrotemas ( 2010 ) : Funções dos Meios de Comunicação, link:http://www.dhnet.org.br/w3/cdhmp/tvalerta/capituloiii.htm
MARSHALL MCLUHAN, Herbert( 1999 ): Os Meios de Comunicação como Extensões do Homem. São Paulo: Cultrix
SOUZA, Jorge Pedro ( 2006 ): Elementos de Teoria e Pesquisa da Comunicação e dos Media. Porto
Conceito de entrevista – O que é, Definição e Significado http://conce ito.de/entrevista#ixzz3VI0gXqn4. Acessado aos 28:03:2015
Significado.com : o que e uma cronica. acessado aos 4-4-2015 Fonte : http://www.significados.com.br/noticia

Advertisements

Jornalismo, Informação e Sociedade II: Contribuições de Edward R. Murrow e Peter Zenger para o desenvolvimento do Jornalismo

Em uma sociedade moderna, a comunicação tornara-se uns dos principais fornecedores de informação e opinião sobre assuntos públicos, uma comunidade e pais. Mas o papel do jornalismo, juntamente com outras formas de mídia, está sofrendo modificações, Edward Murrow e Peter Zenger foram determinate para o jornalismo livre e puro no jornalismo moderno.

Resumo Jornalismo é a atividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. Para o seu desenvolvimento muito contribuiram para que o jornalismo se torna-se em  uma profisão coesa como e hoje, portanto, neste artigo, vamos retratar dois dos maior jornalista que o mundo já viu, e para tal , abordaremos em primeiro plano sua biografia e depois as suas contribuiçõespara o desenvolvimento do jornalismo moderno.

 

Objectivo
O seguinte artigo tenta retrata a vida e a história de dois jornalistas que contribuiram de uma forma muito  significativas para o Jornalismo moderno, Edward R. Murrow e Peter Zenger e seus papel para o desenvolvimento do Jornalismo moderno.

Palavra Chaves: Vida, obrase contribuiçõespara jornalismo modernode Edward and Peter.

  1. 1 – Edward R. Murrow

Edward R. Murrow (25 de abril de 1908-23 de abril de 1965 em www.huffingtonpost.com).

Segundo Joseph (1997),Foi um jornalistaestadunidense e figura famosa dos meios de comunicação. É considerado um dos maiores jornalistas dos Estados Unidos da América até os dias hoje e lembrado pela a coragem e competência jornalistica,Murrow cresceu numa família de agricultores que eram chamados Quakers – um cristão com uma denominação religiosa formalmente conhecida como a Sociedade Religiosa de Amigos. Quando era menino, a família mudou-se para os Estado de Washington, onde ele cresceu e eventualmente participou Washington State College, onde se formou em discurso. Mudou-se depois da formatura em 1930 para Nova York para candidatar – se ao escritório nacional de Federação de Estudantes da América.

Segundo Robert (1978),na II Guerra Mundial, Murrow foi contratado pela CBS para servir como seu diretor de negociações. Mudou-se para Londres, Inglaterra, dois anos mais tarde a tornar-se o chefe de suas operações na Europa em 1935. Durante o final de 1939 e início de 1940, ele arriscou a vida para informar sobre o bombardeio de Londres.

Ele ganhou destaque, primeiramente, com uma série de transmissões radiofônicas de notícias durante a Segunda Guerra Mundial, que foram acompanhadas por milhões de ouvintes nos Estados Unidos da América e Canadá. A maioria dos historiadores o coloca entre as maiores personalidades do jornalismo; Murrow ocupou o topo da lista dos correspondentes de guerra e era admirado por sua honestidade e integridade na veiculação das notícias.

Edward R. Murrow and Harry S. Truman, This I Believe series, 1951–1955, em en.wikipedia.org.

2.2 Peter Zenger

Peter Zenger (1697- 1746 em retrato em hankeringforhistory.com )

Segundo Long L(1966),JohnPeterZenger(26 de outubro de 1697 -28 de julho de 1746) foi um americano alemãoeditorejornalista emNewYork City. Em 1733 , Zenger cópias impressas de um jornal de Nova York para manifestar o seu desacordo com as ações do governador colonial recém-nomeado William Cosby . Em sua chegada em Nova York, Cosby mergulhou em uma briga rancorosa com o Conselho da colônia sobre o seu salário.Incapaz de controlar suprema corte da colônia ele removeu Chief Justice Lewis Morris, substituindo-o por James DeLancey da comitiva real. Apoiado por membros do partido popular, New – York Journal Weekly de Zenger continuou a publicar artigos críticos ao governador real. Finalmente, Cosby emitiu uma proclamação condenando do jornal “mergulhadoresescandalosas , virulentos , falsos e reflexões sediciosas ”

Zenger foi acusado de difamação.James Alexander foi o primeiro conselho de Zenger, mas o tribunal considerou-o com desprezo e retirou-o do caso. Depois de mais de oito meses de prisão, Zenger foi a julgamento, defendido pelo advogado Philadelphia Andrew Hamilton e o advogado New York William Smith, Sr. O caso agora era uma causa célebre, com interesse público em febre-pitch. Desapontado repetidamente pelo Chefe DeLancey durante o julgamento, Hamilton decidiu pleitear caso de seu cliente diretamente para o júri. Depois que os advogados de ambos os lados terminou argumentos, o júri se aposentou-só para voltar em dez minutos com um veredicto de não culpado.

O julgamento de John Peter Zenger. Uma versão um tanto imprecisa de famosa , em www.almanaque.info640 × 382Search by image.

Segundo Lima (2012), Nos Estados Unidos, o julgamento, por calúnia, de um imigrante alemão impressor (printer), John Peter Zenger, em 1735, é considerado a referencia inicial para o estabelecimento da liberdade da imprensa.Ele foi absolvido por um júri popular de acusações de calúnia feitas pelo governador da, então, província de New York. Quarenta anos depois, a liberdade da imprensa já aparece na Declaração de Virgínia (1776) como um dos “grandes baluartes da liberdade, não podendo ser restringida jamais, a não ser por governos despóticos”. Tão tarde quanto 1804, o jornalista Harry Croswell foi processado em uma série de ensaios que levou aos famosos Pessoas v. Croswell.Os tribunais rejeitaram repetidamente o argumento de que a verdade era uma defesa contra a difamação.Foi apenas no ano seguinte que a montagem, reagindo a esse veredicto, aprovou uma lei que permitia a verdade como uma defesa contra a acusação de difamação.

3.0  As contribuições significativas de Edward R. e Peter Zenger para o jornalismo moderno.
3.1 O papel de Edward R. Murrow
No início da década de 1950, a ameaça do comunismo criou uma atmosfera de paranóia nos Estados Unidos, vivia-se uma época designada por “McCartismo”.

Durante anos, as audiências feitas pela comissão liderada por McCarthy, causaram o terror diante de todos aqueles que se opunham aos seus métodos. No entanto, o jornalista da CBS Edward R. Murrow e o seu produtor Fred Friendly W., procuram noticiar com transparência e isenção, vendo-se impedidos pela censura promovida pelo governo.

Na luta que trava por transmitir a verdade, Murrow é colocado na lista de comunistas de Joseph McCarthy e passa a ter que encarar directamente o peso da censura. Mas as suas convicções, ajudaram a derrubar um dos senadores mais controversos da história americana.
McCarthy é um mentiroso e um tirano, que destruía os adversários com mentiras, chamando-lhes de traidores, mas ironicamente, acabou destruído pela verdade. O instrumento de sua destruição, foi Edward R. Murrow, um jornalista de televisão, que estava acima de qualquer suspeita

Mas o que é, sem dúvida, é verdade que o ataque de Murrow em McCarthy tornou-se lendária – um exemplo emblemático da coragem jornalística, e que contém uma franqueza que não seria quase certamente ser permitido em qualquer um dos sucessores modernos de Murrow. É também um símbolo da capacidade de televisão para moldar a nossa memória histórica ; qualquer que seja impacto Murrow pode ter tido quando ” See It Now ” foi ao ar , as palavras e o vídeo de sua cruzada contra McCarthy tê-lo imortalizado . http://www.cinestesia.com
Edward R. Murrow tentava alcançar com seu noticiário, a objectividade, onde a verdade sobre qualquer questão era vista de uma perspectiva integral, e não apenas do ponto de vista político. Hoje, a dicotomia de filosofias são diferentes sobre determinado assunto, são abordadas segundo a natureza, para a dinâmica dos média. No entanto, em 1954, este era um novo conceito de abordagem dos temas, e que Edward R. Morrow foi o seu criador.

É nos anos 50 nos estados Unidos da América que existe um confronto entre duas forças. O poder Político e o poder da comunicação cruzam se e entram em conflito, pois, defendem valores diferentes.

O filme realizado por George Cloney aborda problemáticas que faziam parte dos primórdios da comunicação, assuntos que hoje em dia continuam a ser um grande entrave na “liberdade de expressão”.  É um retrato sobre os direitos individuais dos cidadãos, e sobre a liberdade de imprensa, onde as pressões económicas, politicas e sociais pautam o ritmo de trabalho dos jornalistas.Num ano de fervor político, “Good Night and Good Luck” é talvez o mais político de todos os filmes.

Embora existam mais personagens no filme vamos apenas focar duas, aquelas que representam os poderes aqui em causa. O poder da Comunicação era representado pelo repórter da CBS Edward R. Murrow enquanto que o poder político era desempenhado pelo senador Joseph McCarthy. O confronto entre estas duas figuras começou por não partilharem das mesmas opiniões, o objectivo do jornalista era denunciar as tácticas defendidas pelo senador a todo o povo americano.
3.2  O papel de Peter Zenger
Liberdade da imprensa fazia razoável bom senso como direito natural. Embora o cidadão comum não nasça com uma impressora (ao contrário, por exemplo, da consciência ou da palavra), ainda assim era relativamente fácil justificar liberdade da imprensa como uma extensão destas outras formas de liberdade de expressão. Da mesma forma, num mundo de indivíduos atomizados, liberdade da imprensa fazia tolerável bom senso como um direito utilitário. Deus não criou necessariamente esta situação, mas as pessoas concordavam que indivíduos livres para imprimir suas idéias estariam mais bem preparados para o autogoverno. Em ambas essas versões da filosofia política liberal, liberdade da imprensa é um direito do indivíduo, como liberdade de expressão (speech) ou consciência; “a imprensa” é nada mais do que a impressora (printing press), o equipamento real da expressão impressa. Isto não é mais o que “a imprensa” significa.

Hoje a imprensa é compreendida como sendo uma instituição– uma coleção de organizações noticiosas (news organizations) (…) Na política liberal, entidades empresariais (corporate entities) têm liberdade somente como pessoas fictícias (ex: indivíduos) ou como depositárias de liberdades individuais de pessoas reais, muito pelo os feitos de Peter Zenger.

 

 

 

4.0 Referências

Venício Lima 2012 A liberdade de expressão e o paradoxo liberal.na edição 710

Link:  http://observatoriodaimprensa.com.br/caderno-da-cidadania/_ed710_a_liberdade_de_expressao_e_o_paradoxo_liberal/

www.almanaque.info640 × 382Search by imageO julgamento de John Peter Zenger. Uma versão um tanto imprecisa de famosa

en.wikipedia.org:  Edward R. Murrow and Harry S. Truman, This I Believe series, 1951–1955.

http://www.cinestesia.com, Edward R. Murrow biografia.

Franklin S. R. (1978). Edward R. Murrow, the war years (156).New Issues Press.
Long L. (1966). John Peter Zenger.

  1. Persico J.(1997). Edward R. Murrow: An American Original (562). Da Capo Press. illustrated, reprint.

 

 

 

E-mail e Internet , como meio de comunicacao social

Os meios de comunicação são instrumentos que nos auxiliam a receber ou transmitir informação. Dessa maneira, eles nos ajudam a nos comunicar um com o outro. Cada meio permite que nos comuniquemos de uma maneira diferente com o outro, contudo, o surgimento da internet e o email trouxeram novos elementos para o cenário dos meios de comunicação, gerando possibilidades nunca antes imaginadas no sentido.
Palavra Chave: Internet, email tipos de Comunicação sociais.

Para Tiago ( 2009 ) O e-mail (abreviatura de “electronic mail”, ou correio electrónico, em português) consiste num meio de enviar mensagens escritas pela Internet e que tem a vantagem de ser recebido quase instantaneamente pelo destinatário, em qualquer parte do mundo onde haja ligação de Internet, dispensando intermediários, selos e a espera dos correios tradicionais.
Significado define a Internet é um conjunto de redes mundial, e o nome tem origem inglesa, onde inter vem de internacional e net significa rede, ou seja, rede de computadores mundial. A internet, que pode ser escrita com a primeira letra em maíscula, ou minúscula, é uma rede de computadores interligadas, que possibilita o acesso a informações sobre e em qualquer lugar do mundo.
Depois de definimos os termos chaves, precisamos analizar agora conceitos importante para a nossa discusão, como os seguintes:
Comunicação Interpessoal = refere-se à troca de informações entre duas pessoas. Pode ocorrer em conversas presenciais ou não, por carta, e-mail ou telefone.
Assíncrona – dispensa a participação simultânea das pessoas, ou seja, o emissor envia uma mensagem ao receptor, o qual poderá ler e responder esta mensagem em outro momento. São exemplos deste tipo de comunicação o correio eletrônico, o fórum e a lista de discussão.
Com este esquema de comunicação, podemos analisar e ver que os processos de enviar e receber uma mensagem sera o mesmo quando falamos de email e internet.

Emissor – é aquele que transmite a mensagem.

Receptor – é a pessoa que recebe a mensagem.

Mensagem – é tudo aquilo que o emissor envia ao receptor.

Código – é o conjunto de sinais utilizados na comunicação para transmitir a mensagem, podendo ser de várias maneiras, como as que vimos por meio dos exemplos acima.

Canal de comunicação – é o meio pelo qual é transmitida a mensagem, ou seja, pode ser pelo meio eletrônico, livros, rádio, televisão, etc.
Internet e email como meios de comunicacao.
Podemos então afirmar que tanto o email como a internet são meios de comunicação social, pois respeitam o esquema basico de comunicação (enviar e receber mensagem).
Para Eliene , todos nós nos comunicamos efetivamente por meio das palavras, do tom de nossa voz e do nosso corpo: postura, gestos e expressões. Alguma mensagem é sempre transmitida, mesmo quando não dizemos nada ou ficamos parados . Comunicação, portanto, envolve uma mensagem que passa de uma pessoa para outra.
Portanto, sem duvida a internet e um meio de comunicaco interpessoal e o email.
A internet é o mais novo e avançado meio de comunicação disponível atualmente, ela pode ser acessada por meio de diversos dispositivos como por ex: computadores, tablets, smartphones, notebooks entre outros, atravez dela podemos recolher e publicar informações .
A internet permite que nos comuniquemos por meio de textos, vídeos e imagens com qualquer pessoa conectada na rede ao redor do mundo, e de maneira totalmente interativa.
A internet mescla vários outros meios de comunicação. Existem canais de TV que realizam transmissões online, programas de rádios online, jornais e revistas que podem ser lidos e acessados de forma digital.
A internet pode ser ao mesmo tempo um meio de comunicação individual ou em massa, depende de como ela é usada.

E-mail é uma ferramenta muito poderosa quando se trata de comunicação. E-mail é utilizado para uso pessoal e por grandes corporações para se comunicar com funcionários e clientes. Vários tipos de comunicação podem ser encontrados em e-mails, como o informativo , persuasão e comunicação informal ou formal. Se um e-mail tinha a intenção de ser informativo , mas foi entendido como um e-mail informal , pode ficar excluído quando era realmente informações importantes.
Um e-mail pode ser informativos ou seja, sua intenção é a de educar, informar ou transmitir detalhes de um assunto específico. E-mails informativos são geralmente enviados por empresas, como o banco, um pedido on-line recente feito ou um formulário de notificação. Comunicação Informativa pode exigir novas medidas , mas normalmente não o faz. Um e-mail informativo não é enviado para motivar ou promover um produto.
comunicação informal é comumente visto em e-mails pessoais em que dois amigos estão se comunicando através de um serviço de e-mail. A comunicação informal geralmente usa gírias , linguagem descuidada e não tem que ser gramaticalmente correta . Comunicação formal por e-mail podem ser enviadas por sua instituição financeira , a empresa onde você trabalha ou o governo federal. Muitas empresas preferem se comunicar através da Internet, mas ainda pode enviar uma carta formal de correio , juntamente com um e-mail formal.
Exemplo
Sukissa ——————————— Professores Antonio.
Portanto, os meios de comunicação sempre estiveram presentes na vida do homem, sendo essenciais para a difusão das informações e o email e a internet cumprem com essas missao de comunicacao entre os seres humanos. Os meios de comunicação são ferramentas que permitem aos seres humanos transmitirem e receberem informações entre locais distantes no espaço e no tempo.

Referências
Rabaça, Carlos Alberto e Barbosa e Gustavo. (1897) .Dicionario de comunicacao. Sao Paulo. Atica em Monteiro Luis ( ) Disponivel em: http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/e-com/article/viewFile/5574/5061
Acessado em: 7de mar. 2015
Tiago. ( 2005 ). O que e o email?. Disponivel em: http://tiagorafael88.blogs.sapo.pt/2084.html
Acessado em: 6mar. 2015

Eliane Santos ” comunicacao efetiva atraves de email”.Disponivel em : http://www.institutovencer.com.br/images/Sessoes/27/Comunica%C3%A7%C3%A3o%20por%20e-mail.pdf
Acessado em: 7 mar. 2015
Significado.com.br
Acessado em: http://www.significados.com.br/

Meio de comunicação de massa

Segundo Josineia ( 2012 ) definiu que comunicação de massa é a disseminação de informações através de jornais, televisão, rádios, cinema e também pela Internet, os quais se reúnem em um sistema denominado mídia. A comunicação de massa tem a característica de chegar a uma grande quantidade de receptores ao mesmo tempo, partindo de um único emissor.
Meios de comunicação de massa ou mídias são os meios ou canais de comunicação usados na transmissão de mensagens a um grande número de receptores. Nas relações sociais de comunicação (dia a dia), os meios de comunicação de massa mais comum são os jornais/as revistas, o rádio, a televisão e, o mais recente, a Internet. As obras de Cinema, de Teatro e de outros tipos de Artes também se tornaram meios de comunicação de massas, mas artísticos.
Palavra chave: Meios de comuniacao em massa, história e importância
Objectivo: neste artigo abordaremos sobre os meios de comuniacao de massa, sua importancia e sua historia.
Historia dos meios de comunicação em massa
O jornal foi o primeiro meio de comunicação de massa criado pelo homem: originário dos documentos informativos dos navegadores do século XVI, esse meio originalmente impresso tomou a forma que tem hoje em 1836, na França; o jornal, hoje, também tem a forma falada (imprensa falada), no rádio, e a forma televisiva (imprensa televisada). Veracidade, imparcialidade, objetividade e credibilidade são as qualidades que garantes o sucesso de um jornal. A base do jornalismo é a notícia, seu objeto e seu fim (o resto é secundário). A função principal da linguagem nesse meio de comunicação é a referencial ou informativa. Para que o receptor tenha acesso à mensagem veiculada por esse meio, é preciso que ele saiba ler e escrever, ou seja, pertencer a uma parcela privilegiada da sociedade (elite).
Outra característica fundamental foi a programação. No Reino Unido, a programação teria dois sentidos: transmissão contínua de radiodifusão; componentes individuais de radiodifusão. Já por volta de 1940, e ainda no Reino Unido, com o lançamento de um novo canal emissor, com programação dirigida a minorias culturais, começava a fragmentação da rádio.
Televisão
A televisão surgiu nos anos 40 nos Estados Unidos e ,nos anos 50, no Brasil. É um “liqüidificador cultural”, pois é capaz de diluir Cinema, Teatro, Música, Dança, Literatura, etc, num só espetáculo, além de ser um meio de entretenimento. Para Muniz Sodré, esse que é o meio de comunicação mais poderoso, aquele que mais influencia o receptor, portanto o meio mais persuasivo que existe, é responsável por uma relação social abstrata, passiva e modeladora dos acontecimentos: o receptor recebe a mensagem pronta através de imagens que consome imediatamente, sem que haja tempo de refletir sobre elas. Tais imagens atingem o inconsciente do receptor, que passa a ter suas idéias condicionadas àquelas recebidas através da TV. Em suma, como se diz popularmente, é um meio que “faz a cabeça” do receptor , de tal forma que ele nem perceba isso: ele obedece e cumpre “suas ordens” sem se dar conta. Além disso, é um veículo de comunicação que nada exige do receptor em termos de esforços e de conhecimentos: não é preciso saber ler e escrever, basta girar um botão (o que não requer prática nem habilidade) para se ter acesso à sua programação, que também não é da escolha do receptor, mas sim uma programação imposta a ele pelas emissoras. Muniz Sodré a chama de “visitadora da família “ e dia que não é o receptor quem assiste à televisão, mas sim é ela que assiste a ele. No Brasil, as emissoras de TV são essencialmente comerciais, tendo apenas uma emissora cultural : a TV Cultura. Dessa forma, a TV é o mais eficiente balcão de anúncios dos produtos nacionais e estrangeiros que, devido à força persuasiva desse meio, são consumidos desesperadamente pelos telespectadores, até mesmo os produtos que não tenham qualquer utilidade para ele. Como tudo que a TV lança ou vende vira moda, e como o telespectador deseja estar sempre na moda, ele adere a essa moda sem pestanejar.

Internet
Tem uma arquitectura distinta da rede telefónica, pois pode ligar um mesmo utilizador em qualquer ponto do mundo, com a informação a ser transferida em parcelas ou pacotes. Criada pelos americanos que queriam garantir a segurança de informação, com ligação de computadores entre si, a WWW foi desenvolvida num instituto europeu de investigação de física de partículas, o CERN.
O inglês Tim Berners-Lee, em 1989, criou as hiper-ligações, palavras sublinhadas ou símbolos colocados no interior dos documentos que, pelo clicar neles, remete para outros endereços. Já antes, cientistas e académicos empregavam o @ no endereço electrónico e as abreviaturas “.com “, “.mil” e “.edu” indicavam áreas específicas de sites.
Duas palavras importantes ligadas aos meios de comunicação de massa foram informação e convergência, relacionando computador, redes de telecomunicações e media, e tecnologias como o transístor, o circuito integrado e a digitalização, numa integração de textos, números, imagens e sons.
Função dos meios de comunicação em massa
Os meios de comunicação de massa podem ser usados tanto para fornecer informações úteis e importantes para a população, como para alienar, determinar um modo de pensar, induzindo certos comportamentos e aquisição de certos produtos, por exemplo.Cabe aos órgãos responsáveis fiscalizarem que tipo de informação esta sendo veículada por esses meios, como ao receptor das informações ter criticidade para selecionar e internalizar as informações que considerar úteis para si, denunciado os abusos aos órgãos competentes.
Função dos meios de comunicação A função dos meios de comunicação va ialém de ultrapassar as barreiras da informação, opiniõe sou posicionamentos de grupos de interesse, eles propagam a função educativa, atendendo e influenciando no comportamento da sociedade.

A importância dos meios de comunicação em massa
Os meios de comunicação em massa desempenham uma função de grande importância para a sociedade, que é levar informação ao maior número de pessoas demaneira quase que instantânea. O jornal, o rádio, a internet e a televisão, estão presentes em praticamente todos os lares e exercem uma grande influência na formação de opinião das pessoas, seja deforma favorável ou desfavorável, isto pelo simples fato de passarem a informação com lhes convém.
Os meios de comunicação de acordo a Martins ( 2012 ) agrumentou que os de massa – têm, atualmente, um poder grandioso sobre a população brasileira. Eles exercem um papel fundamental na formação da opinião pública e na formação de ideologias, seja influenciando positivamente, seja influenciando negativamente.
A comunicação interpessoal, por seu turno, abarca a comunicação interpessoal propriamente dita (ou seja, a comunicação direta entre pessoas), a comunicação intragrupal e intergrupal e a comunicação nas organizações, entendida a organização como sendo composta por grupos (O processo de comunicação prevê, obrigatoriamente, a existência mínima de um emissor e de um receptor) , enquanto que, Segundo Josineia ( 2012 ) definiu que comunicação de massa a disseminação de informações através de jornais, televisão, rádios, cinema e também pela Internet, os quais se reúnem em um sistema denominado mídia.

Referência

http://portalrosabeloto.sites.uol.com.br…
in Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2015. [consult. 2015-02-27 10:10:32]. Disponível na Internet: http://www.infopedia.pt/$comunicacao
2012, 10). Meios de comunicação em massa. TrabalhosFeitos.com. Retirado 10, 2012, de http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Meios-De-Comunica%C3%A7%C3%A3o-Em-Massa/451718.html
Link aqui http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Meios-De-Comunica%C3%A7%C3%A3o-Em-Massa/451718.html
Alice, Martins ( 2012 ) “ O poder dos meios de comuniacaco em massa” Edicao n: 647