Conceito de comunicação social, suas funções, sua evolução histórica (períodos e eventos mais relevantes);

Chamado sociedade da informação evidencia o papel social dos meios de comunicação social e dos jornalistas, enquanto agentes intermediário e, muitas vezes activos, dos debates do interesse público. Historicamente, a imprensa em modo geral tem exercido relevante papel na defesa dos interesses colectivo e fortalecimento da democracia. Para Ferreira (2012), Jornalismo é a actividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. O Jornalismo é prática de colectar, redigir, editar e publicar informações sobre eventos actuais, bem como eventos passados, como sucede em revistas.
Objectivo: O presente artigo tem como objectivo de definir o conceito de comunicação social, apresentar as suas funções, sua evolução, histórica e modalidades dando em conta os períodos e eventos mais relevantes.
Resumo: Em uma sociedade moderna, os meios de comunicação social tornaram-se os principais fornecedores de informação e opinião sobre assuntos públicos, mas o papel do jornalismo, juntamente com outras formas de mídia, está sofrendo modificações, decorrentes da expansão da Internet.
Palavra chaves: Comunicação social conceito, história, evoulução e modalidades jornalísticas.
Para o Instituto de Tecnologia ORT ( 2011), Comunicação Social é o estudo das causas, funcionamento e consequências da relação entre a sociedade e os meios de comunicação de massa – rádio, revista, jornal, televisão, teatro, cinema, propaganda, internet. Engloba os processos de informar, persuadir e entreter as pessoas. Encontra-se presente em praticamente todos os aspectos do mundo contemporâneo, evoluindo aceleradamente, regista e divulga a história e influencia a rotina diária, as relações pessoais e de trabalho. A comunicação social é uma ciência social aplicada, cujo objecto tradicional de estudo são os meios de comunicação de massa
2.0 A função da comunicação social
A comunicação social possuem três principais funções: informar, entreter e educar. Segundo esta concepção, informar se refere à comunicação dos fatos que ocorrem no contexto social; educar, a capacidade que tem o homem para enfrentar-se com este contexto e entreter é transportar mentalmente o espectador para longe do seu context, de acordo site macrotemas:
Contudo, Harold Laswell ( 1948 em macrotemas.com 2010) , cientista político norte-americano, resumiu as funções dos meios de comunicação, conforme veremos a seguir:

– Vigilância do contexto;
– Correlação social;
– Transmissão cultural;
– Socialização;
– Entretenimento.

“A vigilância do contexto significa que os meios de comunicação de massa servem como sentinela para os indivíduos, alertando-os sobre os fatos que se sucedem ao seu redor. Os meios de comunicação sociais, servem de janela do mundo”. Esta função tem papel importante, que é a de moralizar, reforçar as normas sociais existentes em cada indivíduo, e por cima, adverte-os do perigo que seu grupo social pode sofrer, desde a possibilidade de uma guerra, a queda da moeda, ou fatores externos que interferem no dia a dia.
“A actividade da correlação com o contexto social inclui a interpretação da informação relativa ao meio ambiente social, e as prescrições para a conduta em reação ante aos acontecimentos dados a conhecer. Dessa forma, representa a propagação das opiniões sobre os fatos ocorridos no contexto. Expressa-se por meio dos editoriais dos diários ou nos programas de opinião pública do rádio ou da televisão”. Logo, isso serve para reforçar a idéia de que proporcionam uma espécie de mesa redonda na qual todos os seus integrantes têm a possibilidade de debater os assuntos públicos, até mesmo poder alterá-los.
Já a socialização é uma consequência do fator cultural, vez que os membros de uma coletividade aprendem os modelos de sua sociedade, assimilando e convertendo em suas próprias regras pessoais de vida. “Os meios de comunicação geralmente cumprem seu processo de socialização, de maneira não formal, mas, por intermédio da promoção de valores e de sistemas de vida na programação.

3.0 Evolução histórica da comunicação social
Os primeiros meios de comunicação de massa foram os livros, produzidos artesanalmente desde a antiguidade, mas fabricados, em série, a partir da invenção da prensa, por Gutemberg, na Alemanha, no século XV. A prensa permitiu o nascimento dos jornais e das revistas a partir do século XVII. Os dois tipos de meios ganharam sua forma moderna no início do século XX, nos Estados Unidos, e depois na Inglaterra, com a penny press.
De acordo a Sousa ( 2006), Os meios de comunicação social passaram efetivamente a ter impacto social, sobretudo, no século XX, a partir do advento da Televisão e do Rádio. Os meios eletrônicos dominaram plateias no mundo inteiro e tornaram-se instrumento permanente de emoção, encanto, fantasia e informação
O avanço da tecnologia permitiu a reprodução em grande quantidade de materiais informativos a baixo custo. As tecnologias de reprodução física, como a imprensa, a gravação de discos de música e a reprodução de filmes seguiram a reprodução de livros, jornais e filmes a baixo preço para um amplo público. Pela primeira vez, a televisão e a rádio permitiram a reprodução eletrônica de informações.
Os meios eram baseados na economia de reprodução linear: neste modelo, um obra procura render em modo proporcional ao número de cópias vendidas, enquanto ao crescer o volume de produção, os custos unitários decrescem, aumentando a margem de lucro. Grandes fortunas são devidas à indústria da mídia.
Para Marshall ( 1999),Se inicialmente, o termo “meios de comunicação de massa” se referia basicamente a jornais, revistas, rádio e televisões, no final do século XX a internet também entrou fortemente no setor. Para alguns, também os telefones celulares já podem ser considerados uma mídia.
4.0 Modalidades
Os géneros do jornalismo são entendidos como modalidades históricas específicas e particulares da criação literária concebidas para lograr fins sociais determinados. Podemos então abordar algumas das modalidade do jornalismo:
4.1 Noticia
Notícia é um formato de divulgação de um acontecimento por meios jornalísticos. É a matéria-prima do Jornalismo, normalmente reconhecida como algum dado ou evento socialmente relevante que merece publicação numa mídia. Por outro, notícia tambem pode ser considerada como qualquer tipo de informação que apresenta um acontecimento recente. A origem da palavra “notícia” provém do Latim, em que “notitia” significa “notoriedade; conhecimento de alguém; noção”( significado.com).
Segundo o site significado.com, a notícia se caracteriza por um texto informativo de interesse público, que narra algum fato ocorrido no país ou no mundo, e cujo conteúdo é constituído por um tema político, econômico, social, cultural, etc. As notícias são veiculadas ao público através da televisão, jornais, revistas e outros meios. A narração de uma notícia de gênero jornalístico deve ser feita de modo exato, objetivo e imparcial. Nesse gênero de notícia, deve ser destacada a veracidade dos fatos, a clareza da linguagem e a objetividade do conteúdo.
As principais perguntas que devem ser respondidas para estruturar uma notícia são: “o quê?”, “quem?”, “quando?”, “onde?”, “como?”, “por quê?”, “como?”
4.2 Cronica
Para o site significado.com, Crônicaé uma narrativa histórica que expõe os fatos seguindo uma ordem cronológica. A palavra crônica deriva do grego “chronos” que significa “tempo”, ( significado.com) Nos jornais e revistas, a crônica é uma narração curta escrita pelo um autor e publicada em uma seção habitual, na qual são relatados fatos do cotidiano e outros assuntos relacionados a arte, desporto, ciência etc. Na literatura e no jornalismo, uma crónica é uma narração não longa, produzida essencialmente para ser veiculada na imprensa, seja nas páginas de uma revista, seja nas páginas de um jornal. Possui assim uma finalidade utilitária e pré-determinada: agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização, criando-se assim, no transcurso dos dias ou das semanas, uma familiaridade entre o escritor e aqueles que o leem.

4.3 Reportagem
E um género jornalístico baseado no testemunho direto dos fatos e situações explicadas em palavras e, numa perspectiva actual, em histórias vividas por pessoas, relacionadas com o seu contexto. A reportagem televisiva, testemunho de acções espontâneas, relata histórias em palavras, imagens e sons e reportagem.
Uma reportagem é um trabalho jornalístico, cinematográfico ou de outro género, de carácter informativo. Também se trata do conjunto de fotografias que constam num jornal ou numa revista sobre algo. Em poucas palavras, a reportagem é um testemunho que explica, com palavras, imagens e sons, consoante o meio usado, algum acontecimento de interesse público. De uma forma geral, inclui as observações pessoais e directas por parte do repórter ou jornalista.
Segundo Duarte, a reportagem apresenta as seguintes partes:
A manchete ou o título principal – Sempre aparece em destaque, com letras grandes, às vezes até coloridas, para chamar a atenção do leitor.
O título auxiliar, que também podemos chamar de subtítulo – É uma complementação do título principal, que fornece maiores detalhes sobre o assunto em destaque.
O primeiro parágrafo, também chamado de Lide – A informação trazida por ele deverá obedecer a uma sequência de perguntas, como: O que aconteceu? Com quem ocorreu o fato?Onde?Como aconteceu?Quando foi?E por quê?
Por último, vem o que denominamos de “corpo” da reportagem – É o detalhamento de tudo aquilo que se pretende dizer, sempre procurando facilitar a compreensão por parte de todos.
4.4 Entrevista
De acordo com o site conceito.de, Entrevista é a acção de entrevistar alguém. Trata-se de uma conversa entre duas uma ou mais pessoas com um fim determinado.Pode ter uma finalidade jornalística, para informar o público das respostas da pessoa entrevistada. E a mesma tem os seus objectivos, como por exemplo, o objectivo da entrevista jornalística é obter informação para difundi-la num meio de comunicação, podendo ser a imprensa escrita, a rádio, a televisão ou a Internet.
Tipos de Entristas
a) Entrevista Informal (livre ou não-estruturada) – É o tipo menos estruturado, e só se distingue da simples conversação porque tem como objetivo básico a coleta de dados. .

c) Entrevista por Pautas (semiestruturada ou semidirigida) – Apresenta certo grau de estruturação, já que se guia por uma relação de pontos de interesses que o entrevistador vai explorando ao longo do seu curso ao entrevistado ao longo da entrevista. .
d) Entrevista Estruturada (fechada) – Desenvolve-se a partir de uma relação fixa de perguntas, cuja ordem e redação permanecem invariáveis para todos os entrevistados.

Referências
Instituto de Tecnologia ORT ( 2011): O que é a comunicação social?
Link: http://www.ort.org.br/comunicacao-social/o-que-c.. Acesso aos 15-04-2015
Freita, Ferreira ( 2012 ). Observatório da Impresa/Jornalismo.Info-escola. Ediçã 719.
Macrotemas ( 2010 ) : Funções dos Meios de Comunicação, link:http://www.dhnet.org.br/w3/cdhmp/tvalerta/capituloiii.htm
MARSHALL MCLUHAN, Herbert( 1999 ): Os Meios de Comunicação como Extensões do Homem. São Paulo: Cultrix
SOUZA, Jorge Pedro ( 2006 ): Elementos de Teoria e Pesquisa da Comunicação e dos Media. Porto
Conceito de entrevista – O que é, Definição e Significado http://conce ito.de/entrevista#ixzz3VI0gXqn4. Acessado aos 28:03:2015
Significado.com : o que e uma cronica. acessado aos 4-4-2015 Fonte : http://www.significados.com.br/noticia

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s